sexta-feira, 13 de julho de 2012

Asas (Wings) - 1927


A entrega dos primeiros prêmios da Academia De Artes e Ciência Cinematográficas aconteceu em 1929 e contemplou os filmes produzidos entre 1927 e 1928. Na época quase não haviam filmes falados, sendo que Wings foi por muito tempo o único filme mudo vencedor da categoria principal (o segundo é O Artista, ganhador deste ano). A Warner Bros Production ganhou na mesma cerimônia um Oscar honorário pela realização de The Jazz Singer, primeiro filme falado e que revolucionou a indústria do cinema. Mas o grande prêmio foi para o filme da Paramount Pictures.
O primeiro filme a ganhar o Oscar - na época prêmio de Melhor Produção (não existia o prêmio de Melhor Filme, criado apenas em 1930 e considerado equivalente ao prêmio ganhado por Asas) - não fugiu muito dos temas mais recorrentes entre os ganhadores: guerra, drama e romance.
Jack Powell (Charles Rogers) é um adolescente americano que tem um sonho: entrar para o exército como piloto de ataque. Sua vizinha, Mary Preston (Clara Bow) incentiva seus sonhos mesmo sofrendo, pois o ama secretamente. Quando os EUA se juntam à Primeira Guerra Mundial (o filme se passa em 1917), Jack e seu colega David (Richard Arlen) se alistam e partem para a Guerra. Porém, eles têm algo mais em comum: ambos amam a jovem Sylvia (Jobyna Ralston), e, na despedida, um grande mal-entendido faz com que Jack pense que ela também o ama, quando na verdade ela é apaixonada por David. Para não desiludi-lo antes da partida, Sylvia prefere revelar a verdade apenas a David. Eles partem para a guerra, assim como Mary, que pretende servir como motorista na Cruz Vermelha.

Durante a Guerra, Jack e David se tornam muito amigos. Após uma grande vitória, ambos ganham medalhas de honra ao mérito e se tornam heróis da companhia. Ao partirem para as comemorações em Paris, Jack se encanta o famoso champanhe borbulhaste francês e se embriaga, chegando a quase perder um chamado urgente para que todos os soldados voltassem à base. Quem o salva é Mary, que mesmo não sendo reconhecida, o leva para um quarto de hotel afim de ajuda-lo a se recuperar para não ser punido. Ao serem encontrados por oficiais no quarto do hotel, com Jack desmaiado e Mary a trocar de roupa, Mary é desligada das forças armadas e mandada de volta para os EUA.
De volta à base, David recebe uma carta de Sylvia dizendo que Jack ainda pensa que ela o ama. Jack, sem saber de nada, se gaba com o amigo ao mostrar o amuleto que tem, com a foto de Sylvia. Os dois discutem e David rasga a foto, para que o amigo não veja a declaração de amor para ele escrita atrás da foto. Os dois discutem, e essa discussão muda o rumo da história drasticamente, culminando num final realmente trágico.
As gravações começaram em 1926, com um orçamento de 2 milhões de dólares. A Paramount escolheu William A. Wellman para a direção por seu conhecimento sobre a Primeira Guerra Mundial (ele foi piloto de ataque também). Escalaram sua atriz mais importante, Clara Bow, e contaram com a ajuda do exército americano, que enviou homens e máquinas a Saint Antonio, Texas, onde aconteciam as filmagens. Ao contrário do seu colega Arlen, Rogers não tinha experiência nenhuma em pilotar aviões, e vomitava cada vez que voltava ao solo de tanto medo.
O filme dirigido por Wellman foi um dos poucos filmes a ganharem um Oscar de Melhor Filme sem ter sido indicado a Melhor Direção. O filme conta com cenas aéreas impressionantes pra época (pelo menos eu fiquei impressionado, não sabia que era possível tomadas como essas naquela época), ganhou também o prêmio de Melhores Efeitos de Engenharia (equivalente hoje a Melhores Efeitos Especiais), realmente merecido.
A trilla sonora é um tanto quanto chata, pra falar a verdade. Por ser um filme mudo, a trilha é toda orquestrada e sinceramente às vezes é difícil assistir às cenas com a música tocando (facilmente resolvido com o botão "mute").
A produção conta ainda com algumas curiosidades:

* Nos créditos, tanto no início quanto no final, é o nome de Clara Bow que aparece em primeiro lugar. A atriz é considerada como a primeira "It Girl", ou seja, aquela garota com um quê a mais que seduzia as platéias. Com uma carreira conturbada, marcada por escândalos sexuais inclusive, Clara perdeu seu glamour com a chegada dos filmes falados. Mesmo ela sendo a protagonista feminina, seu papel em Asas é muito menor em relação aos dois protagonistas.
* E quanto a eles, Asas foi o primeiro filme que se tem registro com uma cena de um beijo entre dois homens.

* A esposa e a filha de Wellman visitaram o set de gravações e o diretor as utilizou como personagens em algumas das cenas finais. O próprio diretor aparece em uma cena como um soldado morrendo.
* A cena da invasão aliada foi filmada em apenas 5 minutos, o tempo exato que o tempo nublado deu trégua. Na pressa de terminar a gravação, o diretor apertou a seqüência errada de botões e machucou dois dos figurantes, nenhum seriamente.
* Outra grande inovação de Wellman e sua equipe é a cena da Folies Bergère. Para chegar até a mesa onde a cena acontecerá, a câmera passa através de varias outras mesas, registrando toda a ação no cenário.
* Apesar do grande sucesso de Asas, Wellman não foi convidado para a cerimônia do Oscar.

Fontes: Wikipedia, IMDb, Youtube.

2 comentários:

  1. Muito bom. Aprendi muitas coisas com essa publicação. Parabéns! Espero aprender muito mais. Super beijos e até o próximo post.

    ResponderExcluir
  2. Onde posso comprar este dvd; pombalrebello@gmail.com

    ResponderExcluir